CIN - Branco Perfeito

Covid-19: Investigadores procuram 12 mil voluntários para estudo

Covid-19: Investigadores procuram 12 mil voluntários para estudo

Para a realização do “primeiro painel serológico para a covid-19 de cobertura nacional alargada”, os cientistas portugueses vão recrutar 12 mil voluntários, de todas as idades e de 102 concelhos do país, incluindo ilhas.

O estudo que pretende aferir, com uma amostra representativa da população, a prevalência da infeção respiratória covid-19 no nosso país, será conduzido pelo Instituto de Medicina Molecular (IMM) João Lobo Antunes da Universidade de Lisboa, sendo financiado em dois milhões de euros pela Sociedade Francisco Manuel dos Santos e pelo grupo Jerónimo Martins.

Segundo adianta a agência Lusa, os testes serológicos (recolha de uma amostra de sangue que permite detetar anticorpos para o coronavírus que provoca a doença covid-19) serão feitos, sem custos para os voluntários, até 7 de outubro em 314 postos de colheita do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, empresa parceira, e cobrem todos os distritos.

O estudo, apresentado como “o primeiro painel serológico para a covid-19 de cobertura nacional alargada”, arrancou esta terça-feira e os resultados são esperados no fim de outubro, permitindo “dotar Portugal, e também a comunidade científica, da mais completa avaliação já realizada sobre a prevalência da infeção no país”.

Segundo explicou à Lusa o imunologista do IMM e investigador-principal do estudo, Bruno Silva-Santos, o número de voluntários pretendido, mais amplo face a outros trabalhos, confere “robustez” ao rastreio da “seroprevalência da população portuguesa”.

A amostra tem por base três grupos etários (menores de 18 anos, entre os 18 e os 54 anos e 55 ou mais anos, com estes dois últimos grupos a representarem 81% do universo de voluntários) e a densidade populacional das regiões (baixa, média e elevada).

A definição e caracterização da amostra contou com o contributo de especialistas da Pordata, base de dados organizada pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, e da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, à qual está agregada o IMM.

Os participantes do painel terão de responder a um inquérito médico para se perceber, nomeadamente, a percentagem de pessoas que têm doenças crónicas, são assintomáticas à covid-19 e estão vacinadas contra a gripe ou a tuberculose.

Os voluntários poderão inscrever-se através do registo num website, onde encontram toda a informação relevante (www.painelcovid19.pt), ou contactar a linha de apoio telefónico 808 100 062 (entre as 09:00 e as 18:00).

A partir dos resultados obtidos com o primeiro painel serológico, será feito um novo estudo com um subgrupo destes voluntários, entre 2.000 a 2.400 pessoas, para acompanhar a evolução da taxa de seropositividade (presença de anticorpos para o coronavírus da covid-19 no soro sanguíneo) durante um ano e estimar a imunidade de grupo desenvolvida, adiantou Bruno Silva-Santos à Lusa.

Os resultados do primeiro inquérito serológico nacional foram divulgados em julho. Coordenado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), o trabalho revelou que apenas 2,9% das 2301 pessoas envolvidas neste estudo possuíam anticorpos para o novo coronavírus SARS-CoV-2, não tendo sido encontradas diferenças significativas entre regiões e grupos etários. A investigação indicou ainda que 44% das pessoas que tiveram contacto com este vírus serão casos assintomáticos.

De acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde, divulgado esta terça-feira, em Portugal morreram 1.846 pessoas das 60.895 confirmadas como infetadas.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=peixe&utm_campaign=sabordomes