CIN - Branco Perfeito

Conselho Consultivo discute encerramento da Refinaria de Matosinhos

Conselho Consultivo discute encerramento da Refinaria de Matosinhos

A reunião do Conselho Consultivo sobre a Reconversão da Refinaria serviu para as individualidades e entidades do meio empresarial e científico que o constituem apresentarem a sua visão sobre o encerramento da refinaria e possível contributo para a sua reconversão.

“Refletir sobre o acontecimento que marcou o final do ano de 2020, o anúncio de descomissionamento da Refinaria de Leça da Palmeira, de forma a construir pistas sobre o futuro”, é o objetivo do Conselho Consultivo sobre a Reconversão da Refinaria, constituído pela presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro.

Como se trata de uma operação privada, “a Câmara apenas terá que pronunciar-se quando surgir um pedido de licenciamento nos serviços de gestão urbanística”. No entanto, este conselho consultivo pretende antecipar e influenciar soluções que visem a manutenção da atividade económica e dos postos de trabalho.

Coordenado pelo professor Adélio Mendes, da Faculdade de Engenharia do Porto, o Conselho Consultivo é constituído pelo professor Sobrinho Simões, o economista Artur Santos Silva, o arquiteto Nuno Grande e os investigadores Fernando Noronha, António Guerner, Alexandre Lima e Joana Maia Dias. As entidades que o compõem são a Porto Business School, a Universidade do Porto, a EFACEC, a Associação Empresarial de Portugal, a APDL, o CEIIA, a NOS, o INEGI, o CIIMAR e a AMP. Integram ainda o conselho consultivo todos os grupos e partidos com assento na Assembleia Municipal (Bloco de Esquerda, Matosinhos, Sim!, Partido Social Democrata, Por Matosinhos, Partido Socialista, Partido Comunista Português, Partido Animais e Natureza).

De referir que a Câmara Municipal de Matosinhos constituiu também uma comissão técnica que tem a seu cargo a elaboração de relatórios científicos relativamente às matérias que dizem diretamente respeito à reconversão da Refinaria de Matosinhos.

Segundo especifica a autarquia, a Faculdade de Economia da Universidade do Porto está a realizar um Estudo de Impacto Económico do Encerramento da Refinaria, o Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI) encontra-se a realizar o estudo relativamente a possíveis alternativas no domínio da energia e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto está a recolher contributos sobre eventuais alternativas com recurso ao Fundo de Transição Justa.

Recorde-se que a Galp anunciou, em dezembro de 2020, a intenção de concentrar as suas operações de refinação e desenvolvimentos futuros no complexo de Sines e descontinuar a refinação em Matosinhos este ano, decisão que, de acordo com estimativas dos sindicatos, põe em causa 500 postos de trabalho diretos e 1.000 indiretos.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/um-regresso-saboroso-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=23092022-edicao69utm_campaign=sabebem