Sogrape

Conhecido Estudo de Impacto Ambiental da Linha Rubi

Conhecido Estudo de Impacto Ambiental da Linha Rubi

O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) relativo ao projeto da Linha Rubi já está disponível para consulta pública, sendo que assim permanecerá até dia 17 de novembro.

Segundo o resumo não técnico do estudo, a empreitada mais morosa de toda a obra será a da “Ponte sobre o rio Douro e Acessos”, que levará 32 meses, distribuídos entre Pontões da Arrábida (três meses); Viaduto Arrábida (4,5 meses); Viadutos A (14,5 meses); Viaduto B (7,7 meses); 3 Passagens Inferiores sob a Av. Eng.º Edgar Cardoso (2) e sob as vias da IP (1): no máximo 7 meses, junto à Rua Rei Ramiro.

A segunda parte mais morosa será o túnel mineiro entre as estações das Devesas e Santo Ovídio, com a duração de 21 meses.

A nova Linha Rubi (H), cuja construção arranca em 2023 e deve terminar no final de 2025, “corresponde a mais um momento crucial para a expansão do Metro do Porto, acrescentando 6,3 quilómetros à rede e uma série de benefícios sociais, económicos e ambientais quantificados em 900 milhões de euros”, afirma a empresa de transporte.

Em termos de obra, a nova linha contempla oito estações: Casa da Música, Campo Alegre, Arrábida, Candal, Rotunda, Devesas, Soares dos Reis e Santo Ovídio, dois túneis e uma nova ponte sobre o Rio Douro, entre a zona de Massarelos/Campo Alegre e a Arrábida.

A Metro do Porto destaca ainda a “existência de um interface, nas Devesas, com a Linha do Norte da CP, bem como um interface com os futuros comboios de Alta de Velocidade (linha Lisboa/Porto/Vigo)”.

No total, a construção da linha Rubi ficará em mais de 300 milhões de euros de investimento, provenientes de financiamento a fundo perdido do Plano de Recuperação e Resiliência. Com esta nova linha, a rede de Metro irá ganhar mais de 12 milhões de clientes anuais, 10 mil dos quais estudantes.

PUB
www.pingodoce.pt/responsabilidade/premio-literatura-infantil/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_campaign=pli