PUB
Recheio 2024 Institucional

CDU sai da Assembleia Municipal do Porto em protesto contra o presidente

CDU sai da Assembleia Municipal do Porto em protesto contra o presidente
A CDU abandonou, esta segunda-feira, a Assembleia Municipal do Porto quando o presidente deste órgão acabou com um debate sobre as freguesias na cidade, alegando que o tema estava “fora da ordem de trabalhos”.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

“Não lhe vou dar a palavra para falar das freguesias”, afirmou o presidente da assembleia, Miguel Pereira Leite, dirigindo-se a Belmiro Magalhães, da CDU, impedindo-o assim de voltar a um tema que ele próprio introduzira e que outros deputados também abordaram.
O deputado aproveitou o ponto em que o presidente da Câmara, Rui Moreira, prestou informações sobre as contas municipais no primeiro trimestre para questionar o novo mapa das freguesias da cidade resultante da reforma administrativa lançada pelo anterior Governo e concretizada com as eleições autárquicas de 2013. Com a reforma, o Porto passou a ter sete freguesias em vez de 15.
Belmiro Magalhães quis ouvir Rui Moreira sobre o assunto, mas o autarca manteve-se em silêncio. O deputado entendeu então voltar ao tema e reafirmar as suas críticas.
Pedro Moutinho, do grupo Porto, O Nosso partido, que apoia Rui Moreira, declarou-se em desacordo “total” com tal posição e os presidentes das uniões de freguesias do Centro Histórico, António Fonseca, e de Aldoar, Foz e Nevogilde, Nuno Ortigão, demarcaram-se também.
O socialista Gustavo Pimenta recordou que o seu partido “esteve sempre contra” a reorganização das freguesias e defendeu haver razões para se “revisitar o problema e, eventualmente, reformulá-lo”.
Belmiro Magalhães pediu para voltar novamente ao assunto e Miguel Pereira Leite opôs-se, alegando que não fazia parte da ordem de trabalhos.
O deputado disse que o presidente da Assembleia não podia mudar as regras, que permitem, no ponto sobre a informação financeira do município, abordar questões diversas, aliás, uma prática comum naquele órgão.
“Não lhe dou a palavra para falar das freguesias, só para falar da ordem de trabalhos”, cortou Miguel Pereira Leite”, sustentando ser “suficiente” o que já tinha sido dito.
A CDU respondeu que sairia da sala se o presidente da Assembleia Municipal mantivesse a sua posição.
“A decisão está tomada”, reafirmou Miguel Pereira Leite, o que levou os quatro deputados da CDU a retirarem-se, “em protesto” contra a condução dos trabalhos.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem