PD - revista Sabe Bem

Cartão de Crédito ou Crédito Pessoal: em que situações deve solicitar?

Cartão de Crédito ou Crédito Pessoal: em que situações deve solicitar?

Quantos de nós, ao nos depararmos com uma situação em que precisamos de financiamento para comprar algo (um carro, um novo eletrodoméstico, etc.) ou cobrir uma despesa inesperada (propinas, saúde, etc.), encalhamos na melhor opção a tomar? Seguramente muitos.

Apesar do cartão de crédito e do crédito pessoal serem duas das soluções mais procuradas neste tipo de casos, os consumidores ainda têm bastante dificuldade em perceber qual destes dois produtos financeiros melhor responde às suas necessidades no momento.

Se hesita escolher entre um cartão de crédito e um crédito pessoal, este artigo é para si. Venha connosco descobrir as diferenças entre estes dois tipos de financiamento e as situações em que devem ser solicitadas.

Quando deve solicitar um cartão de crédito?

Se o objetivo é, por exemplo, trocar a sua máquina de lavar antiga por uma nova, remodelar o guarda-roupa ou fazer uma revisão geral ao seu carro, sem que isso comprometa o seu orçamento, isto é, que não ultrapasse o seu rendimento mensal ou seja superior às suas despesas, os cartões de crédito são uma excelente opção.

Como falamos de quantias normalmente mais baixas, o pagamento da dívida dentro dos prazos sem juros torna-se mais fácil permitindo-lhe, além disso, usufruir de outras regalias que algumas entidades financeiras colocam à sua disposição como descontos em combustível, acumulação de milhas aéreas, a possibilidade de ter cashback ou fracionar os seus pagamentos em prestações. De notar que a opção pelo fracionamento em prestações poderá exigir o pagamento de taxas de juro.

A pandemia de Covid-19 precipitou uma migração do consumidor para o online. O número e o valor médio gasto em cada transação aumentou, colocando em plano de destaque o cartão de crédito enquanto meio de pagamento ideal para completar transações online.

Exemplo prático:

O confinamento obrigatório fez com que o João não pudesse ir ao dentista tratar dois pares de cáries que lhe tem vindo a atazanar a vida. O tratamento ficar-lhe-á por 400 euros, mas ele não quer tirar partido do subsídio de férias pois prepara-se para mudar o telhado de casa. Depois de uma análise do mercado decide-se por contratualizar um dos cartões de crédito Unibanco via online, aproveitando a recente digitalização dos processos de adesão que esta instituição financeira proporciona, para financiar o tratamento dos seus dentes.

Ao optar pela solução do Unibanco, o João sabe à partida que terá acesso a um cartão de crédito sem anuidade, 20 a 50 dias de crédito sem juros e a oferta de cashback que lhe permitirá receber até 200€ de volta nas compras realizadas durante os primeiros 12 meses.

Para além destas vantagens, o cartão de crédito Unibanco vai proporcionar-lhe ainda descontos em restaurantes e combustíveis, pontos que valem prémios, acesso à loja exclusiva Unistore (loja online para clientes Unibanco onde é possível comprar produtos de grandes marcas de Tecnologia, eletrodomésticos, etc.) e ainda fazer o fracionamento dos pagamentos em três vezes sem juros.

Quando deve solicitar um crédito pessoal?

Das consultas no dentista e da troca de televisor passamos a coisas maiores, coisas em que o crédito pessoal assume-se como mestre-de-cerimónias. Da troca de carro às obras no telhado de casa passando por umas férias com tudo aquilo a que tem direito, o crédito pessoal apresenta-se como a solução mais indicada.

Ideal para compras de valor mais elevado e que podem demorar meses ou anos a serem pagas, o crédito pessoal apresenta, normalmente, taxas de juro mais baixas do que as de um cartão de crédito e permite um planeamento mais rigoroso do seu orçamento familiar, uma vez que os pagamentos são previamente programados e podem ser diluídos ao longo de um período de tempo mais alargado (total de juros a pagar ao longo de todo o empréstimo será mais baixo no caso de períodos mais curtos e vice-versa).

Os valores mínimos situam-se, grosso modo, entre os 250 e os 300 euros, enquanto o máximo pode variar entre 40 e 75 mil euros, dinheiro que pode entrar na conta bancária no espaço de dois dias úteis se o cliente quiser um crédito pessoal rápido.

Exemplo prático:

Com os dentes tratados e um novo frigorífico na cozinha comprado com descontos provenientes da utilização do seu cartão de crédito, o “nosso” João voltou a ter paciência para pensar nas obras que está a dever ao seu telhado faz anos. Agradado com a resposta Unibanco à sua necessidade de um cartão de crédito, ele decidiu continuar a apostar na marca e decide fazer uma simulação de crédito pessoal no simulador que o Unibanco coloca à disposição online.

Depois de analisados os valores, o João decide seguir em frente com o empréstimo e avança para a sua contratualização. Tal como já tinha acontecido com o cartão de crédito, o nosso personagem pode pedir o seu crédito pessoal online segundo o processo de digitalização em curso no Unibanco.

Para além da rapidez da adesão, das mensalidades fixas e do seguro, o crédito pessoal Unibanco está disponível para clientes de qualquer banco e não tem comissões de abertura.

O fim a que se destina o dinheiro é, no cômputo geral, o grande definidor da opção a tomar. Quer o cartão de crédito, quer o crédito pessoal apresentam vantagens e desvantagens por isso, se a ideia é realizar compras de menor valor, utilize o seu cartão de crédito. Caso pretenda adquirir algum bem ou serviço com um montante mais avultado, o ideal será optar por pedir um empréstimo.

PUB
Pingo Doce Sabe Bem

Viva! no Instagram. Siga-nos.