CIN - VinylMatt

Câmaras do Porto e de Matosinhos entre as finalistas do Prémio de Políticas Públicas do Iscte

Câmaras do Porto e de Matosinhos entre as finalistas do Prémio de Políticas Públicas do Iscte

As Câmaras Municipais do Porto e de Matosinhos estão entre as cinco finalistas do Prémio Iscte Políticas Públicas (IPPS), na categoria “Administração Local”, pelos projetos, respetivamente, “Programa municipal de deteção precoce de Covid-19 em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas da cidade do Porto” e “Matosinhos Mais Perto de Si”, foi esta terça-feira anunciado. 

O programa da Câmara do Porto viabilizou rastreios para a deteção da covid-19 a todos os utentes e funcionários dos lares do município, naquele que foi o “primeiro programa implementado em Portugal dentro destes moldes e o único no país com trabalho de campo realizado logo no mês de março”, recorda o Porto.. 

O projeto em causa contemplava também a “disponibilização prévia de soluções de retaguarda para promoção da separação sistemática de positivos e negativos em locais limpos e preparados”, com assistência médica, de enfermagem, de pessoal especializado, alimentação, segurança e os demais requisitos próprios das Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas – ERPI com padrões de cuidado elevado. 

“Durante a primeira vaga, os milhares de kits de análise Covid-19 PCR, quando ainda eram escassos, foram disponibilizados por um donativo da Fundação Fosun e Gestifute ao Município do Porto, que contou com o apoio dos profissionais do Agrupamento de Centros de Saúde Porto Oriental e Agrupamento de Centros de Saúde Porto Ocidental para a recolha das amostras. Já o suporte laboratorial foi assegurado pelo Centro Hospitalar Universitário de São João, pelo Centro Hospitalar Universitário do Porto e pelo Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/ Espinho, sendo que todo o processo foi acompanhado pela Autoridade de Saúde Local”. 

Além disso, o projeto contou ainda com o apoio do Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto, que assegurou “o transporte de utentes e as ações de descontaminação necessárias” e com a Movijovem, através da cedência da Pousada da Juventude para estrutura residencial temporária de retaguarda. 

Por sua vez, o projeto da Câmara Municipal de Matosinhos, intitulado “Matosinhos Mais Perto de Si”, viabilizou um conjunto de práticas para controlo do surto da pandemia de covid-19, através das quais conseguiu “identificar, diagnosticar e responder de forma rápida e eficaz a situações de emergência social decorridas no contexto da pandemia de covid-19, nomeadamente através da criação de uma linha de apoio ao isolamento, do Fundo de Emergência Municipal e do reforço da rede local de apoio alimentar, para complementar os cabazes mensais e de emergência”. 

“Esta política social foi desenhada e implementada para criar sinergias capazes de prevenir, cuidar e proteger os munícipes. Foi criada uma linha telefónica de apoio ao isolamento, tanto para prestar apoio psicológico aos munícipes em situação de isolamento social como para identificar a necessidade de entrega domiciliária de bens essenciais, alimentos, medicamentos e produtos de higiene. Distribuímos gratuitamente cerca de 250 mil máscaras certificadas”, salientou a presidente da autarquia, Luísa Salgueiro, numa nota divulgada no Facebook do município, onde recorda ainda que houve um reforço da “rede local de apoio alimentar” a criação do Fundo de Emergência Municipal com respostas a três níveis: famílias, empresas e associações culturais. 

Além disso, através da empresa municipal MatosinhosHabit, foi realizada a suspensão da “cobrança das rendas” ou atualizadas “em função das necessidades das famílias”. Foram ainda “distribuídos 1300 computadores e 365 routers pelas escolas do concelho; foram asseguradas equipas junto das IPSS da 3ª idade, de deficiência e de infância para realização de vistorias técnicas, com vista a assegurar a boa implementação dos planos de contingência e aconselhar sobre as regras de higiene e segurança Distribuição de Equipamentos de Proteção Individual; e foi alugada uma unidade de alojamento para criação de um hospital de retaguarda/ Centro de Acolhimento Comunitário, para acolhimento de pessoas idosas em quarentena impossibilitadas de se manter nos lares onde se encontravam”, acrescenta a nota divulgada. 

De referir que o Prémio Iscte Políticas Públicas (IPPS), organizado pelo Iscte – Instituto Universitário de Lisboa e pelo seu Instituto de Políticas Públicas e Sociais, distingue as melhores práticas de administração pública em Portugal, tendo uma categoria para projetos da administração central e outra categoria para projetos municipais. Além dos projetos das Câmaras do Porto e de Matosinhos, estão também entre os finalistas os municípios de Cascais, Loures e Barreiro. 

No total, foram avaliadas 75 candidaturas. Os vencedores serão conhecidos na próxima sexta-feira, 20 de novembro, numa cerimónia online. 

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes