RECHEIO 50 ANOS

Câmara do Porto aprova contrato para gestão do “Programa de Consumo Vigiado”

Câmara do Porto aprova contrato para gestão do “Programa de Consumo Vigiado”

A Câmara Municipal do Porto aprovou, na última reunião do executivo, o contrato de gestão e operacionalização do “Programa de Consumo Vigiado” do Município do Porto – Espaço para Consumo Vigiado Amovível, ao consórcio selecionado no concurso.

Em causa, recorde-se, está um investimento municipal na ordem dos 650 mil euros, dos quais 270 mil serão destinados “à entidade gestora pelo período de um ano, a título experimental”, indicou a autarquia, liderada por Rui Moreira, referindo que o programa será gerido e operacionalizado pelo consórcio “Um Porto Seguro”, liderado pela APDES – Agência Piaget para o Desenvolvimento.

O equipamento, instalado perto da estátua de Albino Aroso, junto ao Bairro Novo da Pasteleira, contará com “até dez postos individuais com separação física entre o espaço para consumo fumado e o espaço para consumo injetado, incluindo condições de ventilação e exaustão do espaço para consumo fumado/inalado”.

A gerir o espaço estará, pro sua vez, uma “equipa em permanência”, composta por dois enfermeiros, um técnico psicossocial, um educador de pares, um auxiliar de limpeza e um vigilante.

Recorde-se que o Programa de Consumo Vigiado do Município do Porto, que resulta de um protocolo entre a Câmara Municipal, a Administração Regional de Saúde do Norte, o Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) e o Instituto de Segurança Social, foi aprovado em julho do ano passado e vai arrancar, pelo período de um ano, a título experimental.

O trabalho será “monitorizado em permanência e avaliado trimestralmente” pela Comissão de Implementação, Acompanhamento e Avaliação.

PUB
 www.pingodoce.pt/responsabilidade/bairro-feliz/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=votacao&utm_campaign=bairrofeliz