PUB
CMPorto

Boavista quer fazer época semelhante à anterior

Boavista quer fazer época semelhante à anterior

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
“Fazer uma época dentro do que foi a anterior, tentando melhorar ligeiramente” é a ambição do Boavista para a próxima temporada.

Com nove dos dez reforços confirmados até ao momento, a equipa do Boavista apresentou-se esta segunda-feira aos adeptos num treino aberto efetuado no Estádio do Bessa e disputou entre si uma partida que terminou com um golo para cada lado, por Iván Bulos e Mateus, que chegou do Arouca.
“Queremos fazer uma época tranquila, procurando também valorizar os nossos ativos”, afirmou o treinador Miguel Leal, numa breve declaração à comunicação social, acrescentando que “há muita juventude e muita esperança”.
“Temos muita gente. É preciso fazê-los perceber que isto é uma realidade diferente e verificar também se têm andamento para aguentar o ritmo da I Liga”, afrimou.
O avançado panamiano Ricardo Clarke, ex-Zamora, da Venezuela, já esteve presente no treino.
Yusupha Njie, uma das caras novas do Boavista 2017/18, não marcou presença, já que jogou domingo pela sua equipa, o FUS Rabat, de Marrocos, frente ao Kampala City, do Uganda, para a Taça das Confederações Africanas. De referir que Yusupha é internacional pelo seu país, a Gâmbia, e chega ao Boavista emprestado pelo FUS Rabat.
Os outros reforços são os guarda-redes Raphael Siegel (ex-West Ham) e Assis (ex-Leixões), os defesas Raphael Rossi (ex-Swindon Town), Stéphane Sparagna (ex-Auxerre) e Vítor Bruno (ex-Feirense), os médios Alex Rodriguez (ex-Wellington Phoenix) e Aymen Tahar (ex-Gaz Metan) e o atacantes Mateus (ex-Arouca) e Ricardo Clarke (ex-Zamora).
O plantel está quase fechado, disse Miguel Leal, mantendo-se a porta aberta para “mais um defesa e um atacante”.
“Do ponto de vista técnico”, o treinador considera haver um salto qualitativo face ao anterior plantel.
No entanto, há “muitas culturas diferentes” e será preciso “dar tempo” para as necessárias adaptações de um grupo com seis reforços sem experiência da liga portuguesa.
“Vai ser um esforço especial para acolher toda esta gente com diferentes linguagens”.
Miguel Leal espera “fazer uma época dentro do que foi a anterior, tentando melhorar ligeiramente, e, se isso for conseguido, é um mais um passo em frente”.
O Boavista ficou em 9.º lugar na Liga 2016/17, a sua melhor classificação desde que, em 2014, regressou à primeira divisão.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem