PUB
Recheio 2024 Institucional

Associação Terras de Santa Maria pode alargar para requalificação da ferrovia do Vouga

Associação Terras de Santa Maria pode alargar para requalificação da ferrovia do Vouga
O novo presidente da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria, Emídio Sousa, anunciou, esta segunda-feira, que está a considerar o alargamento da instituição a outros concelhos para facilitar a requalificação da ferrovia entre Oliveira de Azeméis e Espinho.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O também presidente da Câmara da Feira foi na semana passada eleito para um mandato de dois anos na liderança do organismo que vem gerindo os projetos comuns aos cinco municípios do Entre Douro e Vouga: a Feira, S. João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca.
“Historicamente, a região das Terras de Santa Maria envolve 14 municípios e penso que fará todo o sentido algum alargamento para além dos cinco que somos agora”, declarou o autarca. “Gostava muito que, num futuro próximo, Espinho aderisse à nossa associação e esse alargamento permitir-nos-ia ganhar peso institucional”, acrescentou Emídio Sousa.
Para o autarca, Espinho é o município cujo interesse na adesão à estrutura se revela mais evidente no imediato, dado que “a Linha do Vouga tem que ser puxada de novo para a agenda porque a região precisa urgentemente de uma ligação ferroviária decente”.
Um estudo elaborado há cerca de quatro anos pela Associação de Municípios já identificou, aliás, as vantagens a retirar de uma requalificação da ferrovia no troço entre Oliveira de Azeméis e Espinho – ponto em que o chamado “Vouguinha” faria a ligação à Linha do Norte, que une Lisboa ao Porto.
Atualmente, a circulação ferroviária entre Oliveira de Azeméis e Espinho verifica-se a cerca de 20 quilómetros por hora, o que o autarca atribui a limitações técnicas provocadas por acentuadas curvas no trajeto, mas a correção dessas irregularidades permitiria que as carruagens atingissem velocidades médias de 80 quilómetros horários.
O estudo já realizado pela associação indicava também que a empreitada em causa custaria 68 milhões de euros e que, uma vez concluída a obra, passaria a poder fazer-se o trajeto de Oliveira de Azeméis ao Porto numa hora.
Para além de Espinho, outro território que Emídio Sousa gostaria de ver integrado na Associação de Municípios das Terras de Santa Maria é o de Vila Nova de Gaia. “Acho que faz sentido, porque estamos a falar de uma das regiões mais exportadoras do país”, defendeu o autarca.
No caso concreto da requalificação da Linha do Vouga, a união em torno de objetivos comuns facilitaria a agilização de processos, considerando que em causa está um esforço financeiro “muito elevado” e com tendência a ser adiado.
Em curso, entre outros projetos enumerados, destaque para a reformulação do entroncamento da Estrada Nacional 105 com a Estrada Municipal 209-2, na freguesia de S. Tomé de Negrelos.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
PD- Literarura Infantil