RECHEIO 50 ANOS

Águas de Gaia apresenta Rota da Água: um museu ao ar livre

Águas de Gaia apresenta Rota da Água: um museu ao ar livre

No passado dia 1 de julho, na habitual cerimónia de entrega das bandeiras azuis, a empresa municipal Águas de Gaia apresentou o projeto “Rota da Água”, que se traduz por um museu ao ar livre.

Este projeto demonstra-se como um centro de educação ambiental onde foram criadas setes rotas pelo concelho de Gaia com um elemento central: a água.

O percorrer destas rotas poderão ser feitas em visitas guiadas ou por utilização livre, e terá o auxilio de um QR Code , onde o visitante poderá ter conhecimento de alguns pontos de interesse, como a capela do Senhor da Pedra, o Geossítio de Lavadores, as pontes, os rios, entre outros.

Para que a visita seja guiada, os interessados terão de se dirigir ao Centro de Educação Ambiental e fazer a inscrição. No ato do registo é possível programar o dia para percorrer o concelho, a partir de veículos de mobilidade suave e com técnicos especializados. Para já, os percursos estão em três línguas: português, inglês e espanhol.

 “Seguimos a lógica daquilo que a pandemia nos ensinou. Hoje procuramos espaços ao ar livre, contacto com a Natureza. Descontinuámos o site «Gaia Mais Praia» e a aplicação que permitia conhecer virtualmente as ribeiras do Espírito Santo, e construímos este produto que congrega toda a informação que, até agora, estava dispersa”, explicou Miguel Lemos, administrador executivo da Águas de Gaia, acrescentando tratar-se do “maior museu da água e centro de educação ambiental de Portugal”.

Na cerimónia de entrega das bandeiras azuis, Miguel Lemos aproveitou também para fazer um balanço da primeira quinzena correspondente à época balnear, garantindo que tudo está a seguir dentro da normalidade necessária, com respeito pelas regras impostas, estando reunidas as condições necessárias “para termos uma excelente época balnear”. E ainda reforçou que “este ano mantivemos os circuitos de entrada e saída das praias para que não existam cruzamentos; temos dispensadores de álcool gel nas entradas e junto aos chuveiros de praia; mantivemos as regras relacionadas com as máscaras e o protocolo sanitário; mantivemos um conjunto de informações à entrada das praias para relembrar as regras; apostamos novamente nos assistentes de praia, reformulando o conceito numa lógica de ter alguém que nos recebe à entrada da praia e nos dá indicações. Por fim, não esquecemos a aposta nas bandeiras que nos indicam a lotação das praias”.

Para além da Rota da Água, um outro prjeto foi apresentado, sendo um sistema desenvolvido pela Scemai, uma start-up que ganhou o Prémio H2O inovação by Águas de Gaia, no Concurso Montepio Acredita Portugal. Este sistema é composto por um conjunto de sensores que trabalham com algoritmos de inteligência artificial que nos permite ter uma série de indicadores, por um lado, mais banais, como a temperatura, a radiação solar ou a velocidade do vento na orla marítima, mas, por outro lado, podemos também detetar com antecedência focos de poluição nas nossas ribeiras, problemas nas redes de saneamento, uma descarga ilegal. Trata-se de informação muito útil que pode ser trabalhada pela Águas de Gaia, pela SIMDOURO, pela APA, pela Capitania, entre outras entidades”.

Foto: site oficial CM Gaia

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes