PUB
Sogrape - Mateus Rosé

Aeroporto do Porto poderá ter comboio antes de 2030

Aeroporto do Porto poderá ter comboio antes de 2030

Frederico Francisco, Coordenador do Plano Ferroviário Nacional, afirmou no “Entrelinhas – Festa do Ferroviário, que o comboio deverá chegar ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro antes da construção da linha do Vale do Sousa, e antes de 2030.

“Em obra, eu acho que a ligação ao aeroporto, é mais provável que possa ocorrer antes de 2030 do que a linha do Vale do Sousa”, afirmou Frederico Francisco durante uma conferência, no âmbito do evento, que decorreu este fim-de-semana em Ermesinde.

Mais tarde, numa intervenção para clarificar a sua declaração, estimou que o comboio de passageiros deverá chegar à linha de Leixões e poderá vir a servir o aeroporto do Porto, antes da efetivação ao aeroporto propriamente dito.

“Nós estamos a trabalhar para que possa haver passageiros na linha de Leixões muito antes de 2030. Aliás, há poucos meses, a IP [Infraestruturas de Portugal] e a CP [Comboios de Portugal] começaram, pela primeira vez em muito tempo, a trabalhar em conjunto e seriamente sobre a retoma do serviço de passageiros na linha de Leixões”, esclareceu o responsável.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

A questão foi levantada por António Alves, da Associação Comboios do Século XXI, que submeteu uma proposta ao Plano Ferroviário Nacional, para uma ligação ao aeroporto através da linha de Leixões.

António Alves acredita que não precisa de existir uma escolha entre o serviço de alta velocidade ao aeroporto, em oito minutos, projetado desde Campanhã, ou suburbano, através da linha de Leixões, em 25 minutos.

“Além de ser necessário construir um túnel por debaixo de toda a cidade do Porto [na alta velocidade], não vai ligar todas aquelas ligações que apresentei”, realçou, referindo-se à malha suburbana adjacente à linha de Leixões.

O membro da associação frisou ainda que “os projetos não conflituam um com o outro, poderão é ser complementares”, tendo dito, no início da sua intervenção, que é “inconcebível” a inexistência da ligação de 2.200 metros entre a linha de Leixões e o aeroporto.

PUBLICIDADE

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem