CIN

AdDP promove observação de ecossistemas no âmbito do “Mil Escolas”

AdDP promove observação de ecossistemas no âmbito do “Mil Escolas”

Ambas as saídas foram coordenadas e orientadas pela equipa do Projeto “Mil Escolas”, constituída por João Luís Roseira e Mariana Cruz, tendo por base as ferramentas científico-pedagógicas disponibilizadas pelo “Projecto Rios” e pela AdDP, ferramentas que representam uma mais valia para o desenvolvimento dos programas escolares no enriquecimento e motivação de professores e alunos para práticas de preservação e conservação dos ecossistemas ribeirinhos, com a intervenção ativa das escolas na sua região. O objetivo das saídas de campo prende-se com o enriquecimento e motivação dos mais pequenos para as práticas da preservação e conservação de ecossistemas ribeirinhos, apoiada na observação e registo de dados no local de estudo definido. Nestas incursões participaram mais de cem alunos dos 2.º e 4.º anos, divididos por dois grupos: o da manhã, denominado de “Exploradores”, foi constituído por 52 alunos (do 2.º ano) e acompanhado pelos professores Carla Moutinho, Luísa Magalhães, Álvaro Aguiar e Alzira Gonçalves. O grupo da tarde, composto por outros 52 estudantes, do 2.º e 4.º anos, denominado de “Os Cientistas”, foi acompanhado pelos professores Teresa Moreira e Clarisse Teixeira. No troço da ribeira de Borba, e na presença dos intervenientes, nomeadamente do presidente da junta de Borba de Godim, Eduardo Pinheiro, foi privilegiado e fomentado o contacto com a natureza passível de observação, sendo que para que melhor fossem percecionados os seus sons, cores, cheiros e a biodiversidade, os alunos ao longo da caminhada/percurso efetuada até ao local em estudo, puderam usufruir da observação direta e pormenorizada de uma zona privilegiada pela visita de diversas espécies, tendo efetuado os respetivos registos na Ficha de Campo, caracterização geral, do Projeto “Mil Escolas,” aqui utilizada pela primeira vez.

Fauna e flora fizeram as delícias dos mais novos
No que respeita a fauna e flora presentes na zona envolvente ao troço da ribeira de Borba selecionado para esta caracterização, os alunos puderam identificar um vasto leque de seres vivos, ao nível da fauna, nomeadamente o cavalo, cão, saltitão, borboletas da família Pieridae e Nymphalidae, libelinha, escaravelho, lagarto e alfaiate e da flora, de que são exemplo o feto-real, amieiro, hera, videiras, dente-de-leão, musgo, silvas, carvalho, agrião, roseira e oliveira. Durante estas duas saídas de campo, os alunos tiveram a oportunidade de concretizar várias tarefas, nomeadamente, identificar o troço onde se encontravam, efetuar observações no local de amostragem e ensaios de monitorização na determinação da respetiva qualidade da água, conseguindo efetuar registos no âmbito da determinação dos parâmetros físico-químicos, nomeadamente a transparência total da água do rio, o seu odor (sem cheiro), temperatura, pH, largura do canal, impurezas e contaminantes químicos com a aferição da não presença de nitritos e nitratos na amostra recolhida. O envolvimento dos vários intervenientes no processo, tem-se revelado estratégico e determinante para o êxito de toda a ação bem como para a promoção de uma efetiva sensibilização ambiental, enquadrada pelos princípios da Agenda 21 Local e Agenda 21 Escola.

PUB
www.pingodoce.pt/produtos/take-away/encomendas/menu-seleccao-do-chef/?utm_campaign=menuchef&utm_content=070720-menu&utm_medium=banner&utm_source=vivaporto&utm_term=banner

Viva! no Instagram. Siga-nos.